Travei no Primeiro Exercício. E agora?

Atualizado: 1 de Set de 2020

Se for a primeira vez que irá resolver exercícios de um certo tema, ou se faz mais de um ano que não faz nenhum exercício sobre o tema, você deve pelos mais fáceis. Em um bom livro didático, eles costumam ser os primeiros da lista.


Esses exercícios fáceis são como o botão de ligar de um aparelho celular por exemplo. É só apertar um botão, mas não pode ser qualquer botão, mas sim o correto.


Você pode ter dificuldades mesmo nos mais fáceis? Travar logo de cara assim? Sim. Pode. E não é ruim ou anormal isso. Dependendo do assunto e de quanto contato ou afinidade tiver com ele, isso pode acontecer e você deve sempre enxergar essa situação como uma excelente oportunidade para aprender de fato aquele assunto.


Imagine se você sempre usou celular de uma certa marca e de repente te pedem para salvar um contato ou mexer em determinada configuração de um aparelho muito diferente daquele que você está acostumado. Às vezes um muito mais moderno ou até um dispositivo muito mais antigo que o seu. É normal "apanhar" um pouco no início, não é verdade? Mas testando, fuçando, tentando entender como funciona, notando algumas semelhanças com o modelo que você conhece, persistindo, você, eventualmente, consegue completar a tarefa. Com assuntos de matemática e física é a mesma coisa.


Agora imagine que viesse uma pessoa e te mostrasse como alterar aquela configuração naquele aparelho. Concorda que se pouco depois alguém lhe pedisse novamente a mesma tarefa, você a realizaria mais rapidamente e mais facilmente? Mesmo que não fosse alterar a mesma configuração, mas uma semelhante, por exemplo, um pedido fosse alterar o brilho da tela e outro fosse aumentar o volume do toque do aparelho. Concorda que já teria mais chances de completar a tarefa de forma mais rápida e eficiente? Essa é a função, na matemática e na física, do exercício resolvido: ser a pessoa que te mostra uma vez como faz.


Então se travou assim que começou a tentar praticar, não desanime, respire fundo, relembre o que viu na teoria, tente mais um pouco e se ainda assim não der certo, procure um exercício semelhante resolvido ou mesmo a resolução do exercício que está tentando fazer. Uma dica: digite as primeiras palavras do enunciado dele no Google (só tenha cuidado para ver se a fonte é confiável... falarei sobre isso em outra publicação). Enfim, aprenda com a resolução e tente fazer o próximo usando o que acabou de aprender. "Continue a nadar".


Essa é uma ideia inicial do que são exercícios resolvidos e como eles podem te ajudar desde o início de seu aprendizado. Te ajudar nos momentos mais complicados. Não deixando seus estudos estagnarem.


Nas próximas publicações vou começar a mostrar quando e como usar esse valioso recurso para a sua evolução para o domínio dos assuntos de exatas.


Bons estudos!

Professor Caju.

57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo